Você é um escravo do seu trabalho?

escravidão assalariada

 

“Arrume um emprego, trabalhe, se case, tenha filhos, seja antenado, seja normal, ande na calçada, assista isso ou aquilo, obedeça a lei, economize para a velhice. Agora repita comigo: Eu sou livre” ~Desconhecido.

Felizmente, a maioria das pessoas já entendem o absurdo que é a prática da escravidão literalmente. No entanto, existem outras formas de escravidão, que não parecem ser e passam despercebidas: A escravidão assalariada.

Nós temos a capacidade tecnológica de alimentar, abrigar e suprir todas as necessidades e desejos básicos da humanidade, entretanto, o sistema econômico nos impede de viver em um mundo de abundância que poderíamos criar se quisermos, pela simples razão de que o dinheiro é escasso e, portanto, nem todas as pessoas podem se dar ao luxo de viver uma vida decente.

E nesse sistema, a maioria das pessoas são obrigadas a se submeter à escravidão assalariada – quer queira quer não, a competir uma com as outras por empregos que lhe permitam simplesmente sobreviver, sempre se sentindo financeiramente instável, o que lhes causa um tremendo estresse e infelicidade.

Se você, neste momento estiver se perguntando se você é um escravo do seu trabalho, estes 4 sinais revelarão “a verdade”:

1. Você se sente forçado a trabalhar.

Trabalho é imensamente belo quando feito por amor a contribuir para o bem-estar do mundo . No entanto, a maioria das pessoas não trabalham porque amam o que estão fazendo ou fora de seu desejo de compartilhar seus dons para o mundo. Pelo contrário, odeiam seu trabalho, e o fazem apenas porque se sentem compelidos a fazê-lo. Eles se submetem ao seu trabalho, apenas para que eles possam ganhar dinheiro, algo que nunca iria escolher fazer, se tiverem a oportunidade de viver bem sem ter que fazê-lo.

Anexo: 5 Coisas que você pode aprender ao decidir largar seu emprego

2. Você tem um chefe.

Uma vez que o salário de maioria das pessoas depende de seus empregadores, eles têm que vê-los como patrões e ceder a sua vontade. Um sinal claro de que a maioria das pessoas são escravos para o seu trabalho é que eles não podem ter uma palavra a dizer e expressar-se criativamente na realização de uma tarefa. Eles apenas têm de obedecer às ordens dadas a eles por aqueles acima deles na hierarquia de trabalho.

Anexo: Um chefe tem poder, um líder influência

3. Seu trabalho desperdiça seu tempo.

O horário normal de trabalho dos países do mundo é de cerca de 8 horas por dia, o que significa que cerca de metade da vida da maioria das pessoas é de propriedade de seus empregadores, e eles desperdiçá-lo fazendo coisas que odeiam fazer! Se por liberdade que significa a opção de passar o nosso tempo a maneira que gostam de passar, então isso significa claramente que todo mundo que tem um trabalho “normal” é nada mais que um escravo.

Anexo: Como transformar sua vida em uma jornada incrível

4. Seu trabalho drena totalmente sua energia.

Diferente de desperdiçar o seu tempo , um trabalho também é muito consumo de energia. Depois de ter trabalhado por cerca de 8 horas em condições de estresse, a maioria das pessoas retorna a sua casa sentimento totalmente exausto, não ter mais energia para fazer nada criativo que lhes dá alegria e melhora a qualidade de sua vida.Toda a sua energia foi desperdiçada durante o trabalho, deixando-os fisicamente, emocionalmente e mentalmente drenado.

(…) “Como, diabos, pode um homem gostar de ser acordado às 6h30 da manhã por um despertador, sair da cama, vestir-se, alimentar-se à força, cagar, mijar, escovar os dentes e os cabelos, enfrentar um trânsito para chegar a um lugar onde basicamente o que fará é encher de dinheiro os bolsos de outro sujeito e ainda por cima ser obrigado a mostrar gratidão por receber essa oportunidade?” (…) – Charles Bukowski

Boa parte do que você leu nos parágrafos acima, fazem parte de um pensamento anarquista e socialista, e não é isso que queremos visar neste artigo. A questão aqui é que eu e você vivemos em uma sociedade capitalista, onde toda nossa organização é baseada no trabalho assalariado, então não faz muito sentido remar contra essa maré, afinal, estamos no mesmo barco.

  • Este artigo foi útil para você?
  • Sim   Não


Comentários do Facebook

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado Os campos obrigatórios estão assinalados por um asterisco. *