Muitas vezes passamos por situações em que pensamos: como dizer / explicar o que eu estou sentindo?

Felicidade | Tristeza | Medo | Raiva | Nojo | Conclusão

As emoções são uma parte essencial de quem nós somos, mas às vezes podem ser confusas, complicadas e totalmente incompreensíveis. Saber nomeá-las e falar sobre elas – consigo mesmo e com os outros – é uma parte essencial do desenvolvimento da saúde emocional.

Felizmente, algumas pessoas trilharam um caminho para passear no campo das emoções. Paul Ekman, psicólogo, liderando uma pesquisa sobre emoções, pesquisou mais de 100 cientistas e usou os dados coletados para desenvolver o que é conhecido como o Atlas das Emoções.

Essa ferramenta interativa on-line divide as emoções em cinco categorias principais:

Atlas das Emoções, por Paul Ekman
  • Raiva
  • Medo
  • Tristeza
  • Nojo
  • Prazer

Qual a diferença entre emoção e sentimento?

Em 1872, Charles Darwin publicou seu estudo sobre a expressão de emoções em animais e humanos, onde argumentou que as emoções motivam as pessoas a responder rapidamente a um estímulo de seu ambiente, o que, por sua vez, aumenta a probabilidade de sobrevivência. Naquele momento, ele argumentou que as emoções nos levam a reagir fisicamente. Por exemplo, se encontrarmos um urso, sentimos medo e esse medo nos faz correr. No entanto, em 1884, o psicólogo William James propôs ideias revolucionárias, embora controversas, sobre emoções e sentimentos.

James entendeu que, como resposta a um estímulo ou experiência, uma reação fisiológica é causada (uma mudança no estado físico – transpiração, respiração, frequência cardíaca etc.) e essa reação gerou uma emoção ou estado emocional (cognitivo, social, avaliações contextuais e ambientais). Em outras palavras, se encontrarmos um urso, primeiro corremos e depois sentimos medo. Naquela época, as ideias de James não foram muito aceitas, no entanto, o médico neurologista Antonio Damasio posteriormente reavaliou suas descobertas e acrescentou o conhecimento mais moderno de neurociência.

As emoções são reações neurofisiológicas desencadeadas por um estímulo externo ou interno (as emoções são físicas). Os sentimentos são uma autopercepção de emoções específicas, sendo uma expressão subjetiva de emoções (os sentimentos são mentais).

Segundo Damasio, o que ele chama de emoções primárias são reações fisiológicas automáticas e inatas que, como propostas por James, são produzidas por um estímulo (uma resposta emocional). Essas emoções, que também estão presentes nos animais, são básicas para a nossa sobrevivência, porque nos permitem alcançar objetivos úteis, como se esconder de um predador ou lutar contra um adversário. No entanto, o processo continua depois que o corpo reage. Isso define a emoção primária. O próximo passo é sentir a emoção conectada ao estímulo original (pensamento consciente). Através dessas associações e reações mentais, obtemos emoções mais flexíveis, baseadas em nossas crenças anteriores de experiência pessoal (experiência subjetiva). Experimentar emoções nos permite:

  • Associar a emoção ao objeto ou experiência específica que a causou;
  • Prever o surgimento de emoção em um contexto específico;
  • Usar nosso conhecimento e demonstrar prudência em relação a objetos / experiências semelhantes;
    • Investigar o objeto / situação, descobrir as vulnerabilidades e explorar esse conhecimento;
  • Gerar reações emocionais novas e mais complexas, aprendidas e dependentes de fatores e variáveis ​​socioculturais (emoções secundárias).

Graças às emoções, quando vemos um urso no zoológico, não fugimos (o que seria a reação emocional primária) e somos capazes de combinar o estímulo (urso) com a situação (zoológico) para manter a calma. Basicamente, os sentimentos são provocados por emoções, e essa diferença é importante, pois nossa sobrevivência depende de evitar o perigo.

Essa é apenas uma maneira de categorizar emoções. Por exemplo, um estudo recente sugere que existem 27 tipos de emoções. No entanto, o conceito de cinco tipos principais de emoções de Ekman oferece uma boa estrutura para quebrar a complexidade de todos os sentimentos. A seguir, veja o que envolve cada uma dessas cinco categorias.

1. Alegria

A alegria contém paz e êxtase. A intensidade desses estados varia. Podemos sentir uma paz leve ou profunda, porém só podemos sentir um êxtase intenso. Todos os estados de alegria são desencadeados por uma sensação de conexão e/ou prazer sensorial.

Você pode sentir felicidade quando:

  • Você se sente próximo e conectado às pessoas de quem gosta;
  • Você se sente seguro e protegido;
  • Você está fazendo algo que provoca prazer sensorial;
  • Você está envolvido em uma atividade;
  • Você se sente relaxado e em paz.

Como falar sobre isso

Algumas palavras que você pode usar para descrever diferentes tipos de diversão incluem:

Atlas of Emotions / imagem: Reprodução

Êxtase – Deleite arrebatado. Estado de felicidade muito grande, quase esmagador.

Excitação – Energia que, ao contrário de outras emoções agradáveis, raramente é experimentada levemente, mas sua intensidade flutua entre o médio e o alto. Pode ser combinada com qualquer uma das emoções para gerar uma forma muito ativa dessa emoção.

Encanto – Experiência de algo muito surpreendente, belo, prodigioso ou difícil de acreditar.

Naches – Termo Iídiche que é aplicado aos sentimentos de orgulho por ver as conquistas dos filhos, descendentes ou alunos. É crucial para motivar a educação de bebês e crianças.

Orgulho – Desejo de que os outros saibam o prazer que você sente por suas próprias conquistas, ou pelas conquistas de alguém que você educou ou com quem você se identifica.

Fiero – Palavra italiana que descreve a alegria experimentada quando alguém enfrenta um desafio que expande suas capacidades.

Paz – Experiência de tranquilidade e contentamento.

Alívio – Quando se evita ou chega ao fim algo que se esperava fosse desagradável, em especial a ameaça de um mal.

Schadenfreude – Satisfação quando algo de mal acontece a outra pessoa.

Diversão – Sentimentos leves de alegria e bom humor.

Compaixão / Alegria – Alegria que se experimenta quando se age para aliviar o sofrimento de outra pessoa.

Regozijo – Sentimento caloroso e edificante que as pessoas experimentam quando vêem atos de bondade, amabilidade e compaixão humanas. Também chamado de elevação.

Prazer sensorial – Prazer que se consegue através de um dos cinco sentidos: visão, audição, tato, paladar e olfato.

Algumas emoções e sentimentos podem anular a felicidade e seus sentimentos relacionados, se for o caso, tente verificar o que pode estar atrapalhando o surgimento desse sentimento, como:

Dificuldade de se concentrar no que está acontecendo no presente;
Preocupação;
Estresse;
Mau humor ou ansiedade.

2. Tristeza

A tristeza contém desapontamento e angústia. A intensidade desses estados varia: Podemos sentir um desapontamento leve ou forte. Todos os estados de tristeza são desencadeados por uma sensação de perda.

Como falar sobre isso

Algumas palavras que você pode usar para descrever diferentes tipos de tristeza incluem:

Atlas of Emotions / imagem: Reprodução

Angústia – Tristeza e angústia pela perda de um ente querido.

Pesar – Tristeza por uma perda.

Desalento – Angústia com resignação

Tribulação – Tristeza angustiada, geralmente prolongada.

Desesperança – Sentimento de que nada bom está por acontecer.

Impotência – Reconhecimento da incapacidade de impedir ou lidar com uma perda.

Resignação – Aceitação de que nada se pode fazer

Desânimo – Sentimento de que nada se pode fazer diante da situação.

Consternação – Tristeza com agitação

Desapontamento – Sentimento de que as expectativas não estão sendo atendidas.

Pode ser muito difícil lidar com a tristeza, mas, dependendo da sua situação, essas dicas podem ajudar:

Lamento. O lamentar faz parte do luto. Esteja você tentando recuperar-se de uma perda, um término, mudança ou fracasso. Reconhecer sua perda pode ajudá-lo a aceitar e lidar com ela. Todo mundo sofre de uma maneira diferente, da forma como lhe parece certo. Falar sobre a dor que você está sentindo pode ajudar muito. Sentar e refletir sobre seus sentimentos também pode ajudar, ou talvez expressá-los de uma forma criativa, como pintando um quadro, compondo uma música, se exercitando, cozinhando, etc.

Faça algo significativo. Fazer algo para ajudar os outros ou contribuir com a sociedade / comunidade pode ajudá-lo a se sentir mais conectado com outras pessoas. Se você recentemente perdeu alguém com quem trocava afetos positivos, considere terminar um projeto com o qual se importa ou doar seu tempo para uma causa que essa pessoa apoiava.

Procure apoio. Isso é mais fácil falar do que fazer quando se está no fundo do poço. Tente se lembrar das pessoas em sua vida que cuidam de você e provavelmente querem ajudá-lo. A dor no coração pode diminui com o tempo, mesmo que isso pareça impossível no momento. Se sua tristeza persistir ou começar a ter um impacto significativo na vida cotidiana e trazer dificuldades no trabalho, na escola ou na manutenção de seus relacionamentos, pode ser útil conversar com um psicólogo ou psicóloga.

3. Medo

O medo surge quando você sente qualquer tipo de ameaça. Dependendo da percepção da ameaça, o medo pode variar em diversos níveis.

O nível de medo que você pode sentir nem sempre corresponde à intensidade da ameaça. Por exemplo, se você vive com ansiedade, pode sentir medo em situações que realmente não representam uma ameaça – embora isso não torne o medo menos real.

Como falar sobre isso

O medo pode fazer você sentir:

Atlas of Emotions / imagem: Reprodução

Terror – Medo extremo.

Horror – Combinação de medo e repugnância.

Pânico – Uma consequência do desespero.

Desespero – Uma resposta à incapacidade de diminuir o perigo.

Temor – Pressentimento de um perigo grave.

Ansiedade – Incapacidade de enfrentar uma ameaça real ou imaginária.

Nervosismo – Incerteza sobre se há um perigo

Inquietude – Previsão da possibilidade de perigo.

O medo é uma emoção totalmente comum – e que provavelmente impediu que seus ancestrais fossem comidos vivos – mas há coisas que você pode fazer para lidar melhor com ele.

Enfrente o medo em vez de evitá-lo. Se você teme algo, seja uma discussão séria, conhecer novas pessoas ou dirigir, é totalmente compreensível querer ficar longe da fonte do seu medo. Mas isso geralmente pode piorar seu medo. Em vez disso, tente enfrentar seu medo com segurança. Por exemplo, se de repente você sentir medo de dirigir, na medida do possível, pegue o carro e dirija imediatamente. Se ajudar, primeiro fique perto de casa, mas não evite.

Procure se distrair do medo. Às vezes, o medo pode se tornar tão esmagador que fica difícil pensar em outra coisa. Mas ruminar, ou deixar os mesmos pensamentos se repetirem, pode ter um impacto negativo no seu estado emocional, além da possibilidade de piorar o medo. Se você se sentir concentrado em uma preocupação ou fonte de estresse, tente uma distração. Ouça um audiolivro ou podcast, cozinhe uma receita na qual você precise se concentrar, faça uma caminhada ou corrida ouvindo músicas que goste.

Racionalize o medo. Reserve um momento para pensar em seu medo. Existe algo que você possa fazer sobre isso? Isso pode realmente prejudicá-lo? Qual a pior coisa que poderia acontecer se seu medo se tornasse realidade? O que você faria nesse cenário? Esse medo é real? Saber como você lidaria com seu medo pode ajudá-lo a sentir menos medo.

4. Raiva

A raiva geralmente surge quando você experimenta algum tipo de injustiça. Essa experiência pode fazer você se sentir ameaçado, preso e incapaz de se defender. Muitas pessoas pensam na raiva como algo negativo, mas é uma emoção normal que pode ajudá-lo a saber quando uma situação se tornou tóxica.

Como falar sobre isso

Palavras que você pode usar quando sentir raiva:

Atlas of Emotions / imagem: Reprodução

Fúria – Raiva intensa.

Sentimentos de vingança – Desejo de represálias

Rancor – Decepção porque ninguém quis resolver um problema

Propensão a discutir – Tendência a se envolver em discórdia

Exasperação – Perda de paciência ante repetidos fracassos para resolver um problema.

Frustração – Uma resposta a repetidos fracassos por não se ter conseguido superar um obstáculo.

Irritação – Raiva leve.

Existem várias maneiras de lidar com a raiva, muitas das quais podem causar problemas para você e para as pessoas ao seu redor.

Na próxima vez que você se sentir ofendido, tente estas dicas para gerenciar a raiva de uma maneira mais produtiva:

Dê um tempo. Quando você se sente frustrado, afaste-se da situação perturbadora, isso pode ajudar a evitar reações instantâneas ou explosões de raiva. Tente dar um passeio ou ouvir uma música relaxante. Enquanto estiver fora do contexto, dedique alguns minutos para pensar sobre o que está causando sua raiva. A situação tem outros pontos de vista? Você pode fazer algo para melhorar?

Expresse sua raiva de forma construtiva. Você pode evitar falar sobre sua raiva para ajudar a evitar conflitos. Internalizar pode parecer uma estratégia segura, mas sua raiva pode inflamar e acabar explodindo em forma de sintomas negativos. Isso pode afetar seus relacionamentos interpessoais, bem como seu bem-estar emocional. Em vez disso, reserve um tempo para respirar um ar puro, se necessário, e tente expressar seus sentimentos com calma e respeito.

Concentre-se em encontrar uma solução. A raiva é complicada porque pode fazer você se sentir impotente. Tentar resolver o problema que está causando sua raiva pode ajudar a aliviar essa frustração. Você pode não conseguir solucionar todas as situações que te deixam com raiva, mas geralmente é possível fazer algo para melhorar. Converse com as pessoas envolvidas, pergunte o que elas pensam e trabalhem juntos. Também é válido tentar pedir a opinião de seus entes queridos. Perspectivas diferentes podem ajudá-lo a considerar soluções que você pode não ter visto.

Nojo

O nojo surge como reação a situações desagradáveis ​​ou indesejadas. Como a raiva, sentimentos de repulsa podem ajudar a proteger-se de coisas que você deseja evitar.

Como falar sobre isso

Palavras que você pode usar para descrever esse sentimento:

Atlas of Emotions / imagem: Reprodução

Abominação – Nojo intenso dirigido a uma pessoa

Asco – Nojo muito intenso

Aborrecimento – Repulsa extrema

Repugnância – Repulsa por algo tóxico, literal ou figurativamente.

Desagrado – Resposta a sabor ou odor ruim; também pode ser metafórico.

Aversão – Desejo de evitar algo que nos enoja.

Descontentamento – A forma mais benigna de nojo.

O nojo pode surgir como uma resposta natural a algo que você não gosta. Em algumas situações, convém saber lidar ou superar seu nojo. Essas estratégias podem ajudar:

Pratique a compaixão. É comum sentir desconforto ao enfrentar coisas temerosas ou incompreendidas. Muitas pessoas não gostam de estar perto de pessoas doentes, por exemplo. Nesse caso, ao pensar em pessoas doentes e sentir uma perturbação, tente passar algum tempo com um amigo doente, um ente querido ou se ofereça para ajudá-los. É importante tomar medidas para proteger sua própria saúde, primeiramente garantindo que elas não sejam contagiosas.

Concentre-se no comportamento, não na pessoa. Se alguém que você gosta faz algo que o ofende ou repugna, você pode reagir desaprovando, retirando-se, afastando-o ou ficando com raiva. Mas, em vez disso, você pode tentar conversar com essa pessoa. Por exemplo, se sua irmã fuma, evite tossir alto ou fazer comentários pontuais sobre o cheiro do cigarro. Em vez disso, diga a ela que a fumaça do cigarro faz você se sentir doente e que está preocupado com a saúde dela. Ofereça-se para ajudá-la a se livrar do vício ou trabalhar com ela para encontrar apoio. Essa é uma dica diretamente relacionada à inteligência emocional.

Exponha-se lentamente. Algumas coisas possuem a capacidade de arrepiar e até embrulhar o estômago. Você pode ter vontade de passear na floresta, mas talvez o medo de aranhas é tão assustador que impede qualquer aproximação. Para tentar lidar com esses sentimentos, tente uma aproximação lenta. Primeiro comece lendo sobre aranhas, veja fotos e vídeos, e faça qualquer aproximação lenta que proporcione uma intimidade maior com o objeto causador desses sentimentos. Isso ajuda a criar um costume e consequentemente os sentimentos são reelaborados aos poucos. Isso vale para outras situações que causam o sentimentos relacionados ao nojo.

Conclusão

As emoções podem ser complicadas. Em certas situações, alguns podem reagir intensamente, enquanto outros nem tanto. Emoções conflitantes estão presentes a todo momento, mas elas possuem um propósito, mesmo sendo negativas. Em vez de tentar mudar as emoções que você experimenta, pense em como você reage a elas. Geralmente são as reações que criam os conflitos, não as próprias emoções.

Fonte: Atlas of Emotions

Post Atualizado em: