10 Técnicas de policiais, espiões e psicólogos para detectar mentiras

 

Em negócios, política e relacionamentos, seria bom saber quando alguém está mentindo para nós.

Para nosso azar, nós, seres humanos não somos muito bons em detectar mentiras. Temos uma tendência natural em confiar nos outros. Preferimos economizar tempo e energia dizendo por aí: "Eu vi esse filme" ou "…Bonito seu cote de cabelo"
 

Ao mesmo tempo seria muito trabalhoso (até impossível) analisar todas nossas interações em busca de algum sinal de mentira, no entanto há momentos em que realmente precisamos saber se não estamos sendo passados para traz. Em uma negociação, por exemplo, é fundamental saber se estamos tratando com a verdade ou estamos sendo enganados.

De fato, saber distinguir a mentira da verdade é importante em todos os aspectos em nossas vidas. 

A forma mais fácil de ter nosso próprio juízo quanto se alguém está falando a verdade ou mentira é o cara a cara. Os psicólogos que estudam a mentira, porém, são rápidos em alertar que não existe um método infalível. Bella DePaulo, professora de psicologia da Universidade da Califórnia, Santa Barbara, diz que: "A mentira não é um processo psicológico distinto com seus próprios indicadores comportamentais exclusivos, é importante saber como os mentirosos se sentem e o que eles pensam." Na verdade, muitos sinais acabam levantando bandeira para os mentirosos. Um dos sinais é a agitação e transpiração. É difícil dizer a diferença entre um mentiroso e uma pessoa honesta em uma situação de estrese.

Dito isto, policiais e espiões usam uma série de truques de interrogatório que nós podemos usar para melhorar nossas chances de detecção. Os profissionais olham e escutam os sinais de nervosismo e prestam muita atenção na história do suspeito. A história tem detalhes? A história tem concordância ao ser repetida?

Claro, sempre vai ter aquele que aperfeiçoou suas habilidades de mentir e chegou a perfeição, esses nunca vão ser fáceis de pegar. Criminosos, especialmente os que foram interrogados dezenas de vezes ficam cada vez melhores, diz o veterano Derrick Parker do departamento de polícia de Nova York. Mágicos também sabem muito bem como enganar, confiando nas suposições dos espectadores.

Mas para a maioria de nós, que não somos mágicos e muito menos criminosos, precisamos nos preocupar quando se trata de detectar mentiras. Na verdade, deveríamos estar mais em guarda contra nós mesmo. "Muitas vezes nós não queremos saber quando alguém está mentindo", explica o professor de psicologia Robert Feldman do M.I.T. em suma, estamos programados para acreditar em elogios e evitar verdades dolorosas, sendo que ambas são tarefas muito fáceis para um mentiroso.