Como melhorar seus relacionamentos – 10 dicas

Um dos principais fatores para nosso bem-estar é o relacionamentos. São eles que proporcionam uma base de apoio para nos ajudar com necessidades, desejos e muitas questões da vida. Se eles não vão bem, ou sentimos algum tipo de dificuldade em lidar com eles, isso se torna um problema.

Para ajudar com essa questão, as psicólogas Andréa Xavier e Cristiane M. Maluf Martin separaram 10 dicas:

10 dicas para melhorar seus relacionamentos

1 FAÇA UMA AUTOAVALIÇÃO

Não adiantar tentar estabelecer um contato com outra pessoa sem compreender o que se passa em sua cabeça. Conhecer suas qualidades e seus defeitos é um passo importante para mudar a si mesmo e contribuir de forma positiva para um relacionamento. “Assim, você vai cobrar menos do outro e aprender que nós precisamos nos preencher e essa pessoa vem para nos transbordar. Ou seja, ela não tem obrigação de saber o que eu quero e como eu quero. Isso é nosso dever.”

5 dicas de onde obter atendimento psicológico gratuito

2 SEJA COMUNICATIVO 

Aqui, vale uma ressalva: ser comunicativo é estabelecer uma conversa com clareza e objetividade, em que há uma troca de ideias e opiniões com base em certos valores, como aceitação, compreensão e respeito. 

3 SAIBA ESCUTAR

Para que a dica anterior seja realmente eficaz, é importante seguir esta aqui. Quando escutamos de verdade, conseguimos compreender o que a outra pessoa pensa, de forma a dar continuidade em uma conversa sem querer se impor.

4 SEJA SINCERO

A sinceridade é uma das bases fundamentais de um relacionamento. Isso demonstra que você está baseando sua opinião em relação ao outro de tal maneira que se preocupa com ela – mesmo que sua opinião seja diferente. Mas é importante não confundir sinceridade com egoísmo, ou seja, querer impor seu ponto de vista por mera vaidade. “Evitar machucar o outro é algo que ajudará a manter a relação, mesmo quando precisamos acertar alguns pontos”

5 EDUCAÇÃO SEMPRE!

“Bom dia”, “com licença”, “desculpe-me” e “por favor” ainda são palavras essenciais para manter uma boa relação com as pessoas, pois elas demonstram respeito com a opinião e o espaço alheios. Mesmo que você julgue que o outro não mereça, pense se vale a pena se igualar a ele e deixar a educação de lado. 

6 DEMONSTRE INTERESSE 

Quando uma pessoa vem ao seu encontro para uma conversa, ela deseja compartilhar algo com você. Por isso, retribua essa atenção com interesse ao que ela vai expor. Seja receptivo para que elas não fiquem desconfortáveis ou inibidas, seja nesse ou em momentos futuros. 

7 PRESTE ATENÇÃO AOS DETALHES 

Percebeu que seu colega ficou cabisbaixo o dia todo? Chame-o para uma conversa e procure ajuda-lo. Seu parceiro ou sua parceira parece ansioso(a) com alguma situação? Pergunte se está tudo bem e ofereça ajuda. Quando tomamos esse tipo de iniciativa, é uma demonstração importante de cuidado com o outro. 

8 NÃO SEJA INVASIVO 

Caso perceba que uma pessoa não esteja bem (seja por qual motivo for), pergunte como ela se sente e se precisa de alguma ajuda. Mas é importante também respeitar o momento dela, pois essa “invasão” pode deixar o outro ainda mais fragilizado. 

9 COLOQUE O EGO DE LADO

Muitas vezes (principalmente nas redes sociais), entramos em uma discussão com família ou amigos somente pela questão do ego, sendo que, no final, não houve vencedores, e a relação fica desgastada. Nessa situação, repense se é tão válido mesmo se desgastar apenas para estar certo ou ficar em paz consigo mesmo e com os outros. 

10 CUIDADO COM COMPETIÇÕES

As competições são muito comuns no ambiente de trabalho e geralmente estimulam o desenvolvimento entre colegas. Quando elas começam a fugir do que é considerado saudável, podem criar situações desagradáveis e atingir outras pessoas. Por isso, é essencial ter essa percepção. Nas relações entre amigos ou familiares, isso também existe, mas o objetivo é conquistar a atenção do grupo. Mesmo assim, tome cuidado para não disputar afeto. “Estamos falando de um relacionamento, e não de uma competição”, lembre.

*Publicado originalmente na revista “Ciência em foco”

Mundo Interpessoal

Facebook Comments